Macapá - Amapá, 01 Novembro 2014
RSS Facebook Twitter

Polícia

POLICIA 4-

O policial militar Marlon Vilhena da Silva, de 32 anos, teve a prisão decretada pela justiça a pedido da delegada Valcilene Mendes, da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (Decipe). Segundo a delegada, o policial é suspeito de ter assassinado três pessoas no ano passado, sendo dois irmãos.

Os exames de balística comprovaram que as ranhuras dos projéteis deflagrados e encontrados nos locais dos crimes são os mesmos da pistola calibre Ponto 40 apreendida anteriormente com o policial. Marlon chegou a ser ouvido em depoimento, mas negou veementemente ser o autor dos disparos.

POLICIA1-DROGA01

Uma denúncia anônima levou homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope), sob comando do sargento M. Sampaio a prender em flagrante a traficante Maria Hina dos Santos Almeida, de 59 anos, que estava em uma boca de fumo localizada no bairro São Lázaro, numa área conhecida como ‘ponte do Baleia’.

 

Baleia é o apelido do filho da traficante, que tem uma condenação de mais de dez anos pelo mesmo crime da mãe. Segundo o sargento, a mulher é reincidente no tráfico e tem várias passagens pela polícia. “Na verdade a família é envolvida com o tráfico de drogas. Entre os documentos da mulher apresentada existem duas carteiras de visitação do Iapen, sendo uma da ala feminina e outra do cadeião. No presídio masculino está o filho dela e no feminino outra pessoa da família”, disse o sargento.

Sexta, 31 Outubro 2014 15:17

Irmãos foram emboscados pelo policial

POLICIA4-IRMAOS MORTOS 02

O outro assassinato foi dos irmãos Edivanildo Lobato Martins, 23 anos, e Eliciane Lobato Martins, de 33. Conforme investigação, os irmãos haviam saído da festa na companhia de amigos após terem discutido com o PM que estava fazendo a segurança da casa de shows. Eles teriam sido seguidos por Marlon até o bairro Congós, onde as vítimas moravam.

 

O crime ocorreu no final da madrugada de 5 de agosto, também do ano passado. Edivanildo e a irmã foram surpreendidos quando pararam o carro em que estavam em frente à casa deles. Edivanildo levou pelo menos cinco tiros pelas costas, e sua irmã, dois na cabeça. Os outros ocupantes do carro só não foram alvejados porque buscaram abrigo.

Pagina 1 de 90